quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Club Lotus Portugal no Autoclássico 2011

Caros Amigos/as

Por razões de ordem profissional, vou estar fora do país durante um período indeterminado de tempo. Nestas circunstâncias, e por razões óbvias, entendi delegar no Rui Coelho a direcção do Club Lotus Portugal. Este é o corolário natural, uma vez que o Rui tem sido, de todos os membros, aquele que mais se tem empenhado na sua dinamização, demonstrando sempre uma disponibilidade total para ajudar em tudo o que é necessário.

Uma palavra de apreço também para o Fernando Aguiar e para o João Ferrand pela actividade que têm vindo a desenvolver, respectivamente, nas zonas Sul e Centro.

Last but not least, agradeço a todos/as o entusiasmo que têm dedicado ao clube, fazendo votos para que dêem todo o apoio ao Rui Coelho neste novo desafio que lhe lancei.

Deixo-vos com as imagens da montagem do nosso stand na Exponor, onde poderão ver um dos primeiros Elises vendidos em Portugal, gentilmente cedido pelo Rui Fernandes.

Um grande abraço do Pedro Aroso.

DSC_0297

Pedro Aroso, Rui Fernandes e Rui Coelho.

DSC_0302

Pedro Aroso, Gustavo Aroso e Miguel Aroso.

Share

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Encontro Relâmpago - Rescaldo

Na passada manhã de Sábado, todos estávamos longe de imaginar que um Encontro Relâmpago pudesse contar com tantos participantes!

O Elise do Miguel apresentou-se convertido !

O Seven do João já circula !


O Elan do José Gil soma e segue aos 180.000 km que já têm !


Tivemos a ilustre visita de um Type 116 !


Entre outros que constituíram este ilustre grupo de Lotistas !


Seguiu-se um pequeno-almoço oferecido pela Ascari num parque do ACP que mais parecia a Gruta do Ali-babá, tantas eram as preciosidades que continha !


Uma vez mais, o Club Lotus Portugal proporciona uma manhã muito bem passada aos apaixonados pela Lotus.

Até breve !
Share

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Novo motor Lotus V8 já rola!



A 18 de Agosto, dentro do prazo e como planeado a Lotus ligou pela primeira vez o novo motor V8 que será o coração da gama começando com o Esprit no final de 2013. Quase 40 anos após o lançamento do seu primeiro motor, a série 900, o novo motor, projectado por Wolf Zimmermann, tem até agora, "superado todas as expectativas" em termos de potência, redline e outros factores.

A equipe trabalhou duro para manter o estipulado neste projecto tão importante e complexo. Na verdade, 20 minutos foi o tempo de sobra já que o motor foi ligado às 23:40 no dia 18! A Lotus espera ter o motor montado e a funcionar num modelo de testes Esprit até o final deste ano. Este motor também será usado no Elite e Eterne e poderá ser usado na forma V6 no Elan. Zimmermann também explicou que não é muito trabalhoso converter num motor de 4 cilindros em linha para o Elise ficando assim todos os modelos com motores "da casa".
Share

terça-feira, 20 de setembro de 2011

! Encontro Relâmpago !

Na sequência da iniciativa “Pequeno Almoço Ascari & Empark” em Lisboa nada melhor do que voltar a organizar outro Encontro Relâmpago do Club Lotus Portugal!

Assim, todos os Lotistas que pretendam participar neste encontro apenas terão que comparecer com os seus Lotus no próximo Sábado dia 24, entre as 10h e as 11h, no Club de Tiro de Monsanto.

Seguiremos depois para o Parque de Campo de Ourique da Empark, sito na Rua Francisco Metrass, onde no piso -4 um Parque Lotus gratuito aguarda os participantes. Aí poderão ser apreciados e adquiridos Livros do Mundo Automóvel enquanto se toma um café com bolinhos !!!

Seguir-se-á um um almoço entre todos os participantes em local a combinar na altura e o encontro continuará até os últimos Lotistas partirem rumo ao horizonte pelo que, não tem horas para acabar.

Uma iniciativa do Club Lotus Portugal com a organização do Miguel Oliveira.

Contamos com a vossa presença!

Share

Crónica da 1ª prova da SSS. Pedro Charais em destaque!

Disputou-se este fim-de-semana a segunda prova da Single Seater Series, primeira pontuável para o campeonato.

O número de participantes foi inferior ao da prova anterior e ao previsto para as próximas devido à falta de possibilidade de comparecer de alguns concorrentes mas não impediu a realização de 2 divertidas corridas.

A classe Formula Ford Kent anos 70 foi mais uma vez a mais animada com uma interessante luta em ambas as corridas entre Valter Fernandes no Merlyn Mk17 de Velez Grilo e Campos Costa no seu Merlyn Mk24. 
 
Em ambas as corridas acabou por ser Valter Fernandes a levar a melhor, no entanto sempre com margens muito reduzidas. Menos de 3 segundos separou os 2 pilotos na corrida 1 e na corrida 2 a margem não chegou aos 3 décimos de segundo após várias trocas de posição em cada volta.

Vitor Sampaio triunfou na classe Formula Ford Kent anos 90 em ambas as corridas e na 1ª corrida também andou em luta directa com Valter Fernandes e Campos Costa até um peão perto do fim o ter afastado dos dois Merlyn.
 
Na segunda corrida o piloto do Ray 98FZ preparado pela G-Tech/Formula G acabou por deixar fugir os 2 Merlyn mais cedo devido a cansaço físico.
Alberto Velez Grilo alinhou desta feita no seu Palma Formula V. O bonito monolugar nacional não rodava em pista há cerca de 40 anos e apesar de alguns problemas mecânicos o terem impedido de participar na 2ª corrida, Alberto Velez Grilo tenciona participar com este carro no Algarve Historic Festival.

O piloto Lotus Pedro Charais voltou a participar com o seu Sheane Mk2, Formula V construído na Irlanda no fim da década de 90 triunfando assim nesta classe em ambas as provas, fazendo sempre arranques magníficos que lhe permitiram rodar perto dos Formula Ford Kent durante o início da corrida.

António Alves fez a sua estreia em competição nesta prova, marcando também a estreia de um Formula Vauxhall Jr. 8V na Single Seater Series triunfando na classe em ambas as corridas com o seu Van Diemen do fim da década de 80.

O piloto mais azarado do fim-de-semana foi sem dúvida Paulo Sousa. Após dificuldades nos treinos livres, o motor do Van Diemen da classe Formula Ford Kent anos 80 acabou por ceder na qualificação e o piloto da A.L.M.A. Racing ficou assim de fora de ambas as corridas.

Na classe Formula Ford Zetec anos 90 os 3 três carros da equipa G-Tech/Formula G ficaram ordenados da mesma forma nas 2 corridas com o Van Diemen RF98Z de Fernando Mayer Gaspar a triunfar em ambas à frente de Pedro Ágoas em Mygale SJ99 que fez a sua estreia aos comandos de um Formula Ford naquela que foi a sua segunda corrida como piloto.
 
Fernando Gaspar foi o mais azarado dos 3. Problemas de embraiagem na 1ª corrida e de selector de mudanças na 2ª corrida afastaram-no cedo da luta pela classe apesar de se ter mostrado ameaçador na 1ª volta até surgirem os problemas.

A próxima prova do campeonato realiza-se já a 8 e 9 de Outubro no Autódromo do Estoril.
Share

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Confirmam-se as suspeitas…

A Lotus acaba de lançar um Exige destinado a ralies!

Share

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Fotos exclusivas e mais detalhes de Frankfurt por Andy Betts - TLF

Share

Novidades Lotus no Salão de Frankfurt


Depois de meses de especulação dos media o Grupo Lotus tem orgulho de anunciar a mais recente adição à família: o extraordinário novo Exige S, a última palavra de alto desempenho no dominio dos desportivos. Detalhes oficiais na página da Lotus
 
Elise S e Elise opção SPS adicionados à gama Elise de 2012.
O Elise S substitui o Elise SC com um novo motor de 1.8l supercharged capaz de entregar 220cv

Elise, com opção SPS (Shift Precision Serial)
Esta opção de caixa de velocidades disponível para o Elise 1.6l utiliza uma nova tecnologia de transmissão robotizada que permite ao condutor alternar entre manual e automático através de patilhas fixas à coluna de direção dando uma ligação ainda mais direta com a estrada.
Detalhes oficiais na página da Lotus
O Evora GTE: Simplesmente o mais potente Lotus de estrada já construído. .

Produzindo mais de 444cv do V6 3.5l o GTE é, simplesmente, o carro de estrada mais potente já construído Lotus. No entanto, contrariamente às suas raízes extremas, o Evora carro de estrada GTE também proporciona um elemento de conforto e requinte face às suas características de condução de alto desempenho.

Originalmente criado como uma edição limitada especial para o mercado asiático e concebido para celebrar a entrada bem sucedida da Lotus "para o novo mundial de automobilismo categoria GTE, o Evora GTE tem todos os atributos que esperaria um piloto de endurance incluindo um uma transmissão sequencial AMT e jantes em alumínio forjado com porca central calçadas com pneus Pirelli P-Zero Corsa. Detalhes oficiais na página da Lotus
Nova Evora S com a opção IPS

O S com a opção IPS tira o melhor partido do motor V6 3.5l supercharged e entrega 350cv otimizados através do paddle shift que permite permite ao condutor disfrutar em pleno do modo manual com a vantagem adicional de mudar para o modo automático. Este é o mais versátil Evora. Detalhes oficiais na página da Lotus
30 anos depois da vitória no no World Rally Championship com o Talbot Sunbeam Lotus é hora de dar de novo as boas-vindas à Lotus ao WRC com o irmão do recém-lançado Exige S - Exige o R-GT.

Equipado com o mesmo motor V6 3.5 litros como o Exige de estrada, as mudanças significativas foram feitas na caixa de velocidades e nos restritores do motor. A Lotus será inicialmente parceira com equipas privadas, seguindo o método experimentado e testado aquando do regresso da Lotus na IndyCar e Le Mans. Detalhes oficiais na página da Lotus

Share

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Elan M100 SE Turbo Novo Preço!

O Luís Costa ainda tem à venda o seu Elan M100 SE Turbo e recentemente decidiu oferecer um preço mais competitivo que torna este um negócio bem mais apetecível. O carro é de 1992 e tem 75000km.

Conta com:
Vidros eléctricos, bancos desportivos em pele, espelhos eléctricos e aquecidos, 4 jantes 15 originais e pneus praticamente novos e 4 jantes 16 com pneus a meio uso, auto-radio CD, direcção assistida, ar condicionado, discos ventilados, fecho centralizado, etc.

O Luís Costa pode ser contactado pelo 969447777 ou pelo email luismiguelda@hotmail.com
Share

sábado, 10 de setembro de 2011

Condução Desportiva III - O Volante

O volante é o interface homem/máquina através do qual o condutor converte impulsos visuais em controlo dinâmico de um carro e recebe informação da reacção e comportamento físico induzidos no veículo. A capacidade cerebral, o volume de dados e a velocidade de raciocínio envolvidas na operação de um volante é de tal forma complexa que nunca foi tecnologicamente possível substituir eficazmente um condutor por qualquer outro mecanismo.

O Volante;

1º – Ajustar a altura:

O volante deve ser ajustado o mais alto possível, acautelando que se consegue ver por cima dele e até que o centro deste fique, tanto quanto possível, apontado à altura dos ombros.

A principal razão para o volante ficar o mais alto possível resulta do facto de os músculos dos braços conseguirem aplicar mais força flectidos e com as mãos ao nível dos ombros.

2º – Ajustar a distância:

O distância do volante ao condutor deve permitir que os seus braços fiquem dobrados num ângulo entre os 90º e os 120º.


Uma forma simples e eficaz de verificar a distância correcta consiste em esticar os braços e, com os ombros encostados ao assento, verificar que os pulsos podem ficar pousados por cima do volante.


Deverão ser tomadas em consideração as recomendações do fabricante relativas à distância de segurança ao airbag que, normalmente, se encontram no manual de instruções do carro.


Nunca se deve conduzir com os braços esticados. Numa curva rápida e acentuada não terão força nem capacidade de impulso suficientes para virar o volante com a velocidade e a precisão necessárias nem para segurar o corpo no assento, contrariando a Força G.

3º – Agarrar o volante:

Nos carros desportivos, a aerodinâmica, o efeito de solo, a direcção progressiva, a largura dos pneus, etc. a velocidades e/ou manobras rápidas exigem que o condutor aplique uma força considerável no volante. Daí a importância da sua afinação e deste se encontrar regulado na posição em que a aplicação dessa força é mais rápida, precisa e eficaz.

Nos volantes dos carros desportivos os dois braços superiores e a sua junção à roda do volante estão concebidos para permitir o agarre na zona das 9 e das 3 horas de forma confortável e eficaz. Muitos deles têm mesmo dois apoios anatómicos no interior do volante que se destinam a apoiar os polegares.

Em circuitos com curvas rápidas a técnica de agarre mais utilizada é colocar os polegares no interior do volante apoiados nos braços deste, o que permite aplicar mais força de forma rápida e precisa.

Em pisos difíceis, com água, neve ou gelo, gravilha, etc. que exigem viragens e correcções rápidas e vigorosas do volante, a técnica a utilizar deverá ser colocar os polegares no volante, nos apoios de polegares, e não nos braços do volante pois este pode reagir violentamente a alguma irregularidade no piso e deslocar ou mesmo partir os polegares ao condutor. Esta experiência dolorosa já foi vivida por muitos pilotos, principalmente de rally.


Finalmente, todos os ajustes devem permitir que a a posição de condução seja relaxada e totalmente confortável, garantindo que todo o corpo se encontra em contacto com o assento, desde as coxas até aos ombros.

O condutor deverá conseguir virar o volante 180º (½ de volta) sem ser forçado a desencostar os ombros do assento. A título de curiosidade, nos carros de corrida, os pilotos conseguem virar o volante quase 270º (¾ de volta) sem desencostar os ombros da baquet.

Share

Lotus Europa S2 e Dutton B-Type para venda

O Sérgio Costa do Algarve tem para venda não um mas dois carros desportivos, um Lotus Europa S2 e um Dutton B-Type, um roadster britânico inspirado no Lotus Seven. O Europa é de 1970 e é um modelo S2 enquanto que o Dutton é de 1974. O Sérgio pode ser contactado pelo email: sergiocosta1960@hotmail.com
Share

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Novo Exige em Frankfurt?

É quase certo que uma das novidades a apresentar no próximo salão de Frankfurt que arranca na próxima semana, será o novo Exige. A Lotus lançou hoje um pequeno "teaser" que mostra de forma quase instantânea um modelo muito pareciddo com as recentes fotos espia tiradas.
Compare-se com um recente video publicado no youtube: http://youtu.be/ixDSFWCWlyU

Quanto ao motor acredita-se que um novo V6 estará entre as mudanças, adoptando assim o mesmo motor encontrado no Evora. Isso significaria um 3.5-litros V6 de 280bhp na versão Standard, e 350bhp na versão S.

O Exiqe não é vendido no mercado europeu desde Dezembro de 2010, quando seu motor 1.8 litros de quatro cilindros entrou em choque com as regulamentações de emissões.
Share

Novo Evora MY2012

A Lotus começa aos poucos a implementar os seu plano de 5 anos conhecido por "New Era" e um dos pilares do mesmo é o aumento da qualidade dos seus produtos actuais. O primeiro modelo a incorporar esta filisofia é o novo Lotus Evora que na sua próxima versão contará com mais de 130 melhoramentos sugeridos muitos deles pelos clientes da marca.

Fica aqui um excelente artigo de Andy "Bibs" Betts, CEO do The Lotus Forums e um dos nossos colaboradores.


Group Lotus have confirmed that the Evora will be in their line up of cars until 2017 when the new era Elan will be its replacement completing the lineup of new era cars. In the meantime, the regime under CEO Dany Bahar have stepped back from the Evora, listened to feedback from customers and retorted with the MY12 car showing 130+ improvements to make for a more satisfying car to own and enjoy.  Bahar explained that initially under his tenure the company focused on the new 5 year plan and getting 5 new cars to Paris to ensure the long-term future of the company and its solvency going forwards. Now to sustain the business they are now taking stock of what they have and improving it in line with the company’s future standards, ideals and ethos and first to be seen by the media is the MY12 Evora.
Lotus hope that the MY12 Evora will be an opportunity for the company to showcase the direction in which they’re heading and to show the capabilities and resources that they now have. They want to improve the perception of the car and broaden its appeal and fulfil the Evora’s potential in its market segment. Although the MY12 is a huge step forward in terms of the quality of the car, this is part of a continuous improvement program and MY13 will feature more steps to making the Evora an even better car than it is today but we’ll not see these further improvements for 12 months.



Ian Fry, Evora Platform Manager highlighted 4 initial areas where the car would benefit from immediate improvement. The interior was the first area they concentrated on and improvements in this area are plentiful and make up a significant amount of the work that’s gone into the car. The steering wheel is now covered with different, higher quality leather and featured stitching detail and behind this the rev counter now has tell tales for the sidelights and dipped beam, much easier than having to guess if your lights are on during the daytime. The gear lever is a new item as is the polished bevel surround, higher and more tactile to aid gear changing. This and the new low friction motorsport derived gear cables make for a huge difference in the shift quality. The ‘S’ now featured gunmetal coloured panels and steering wheel detail to differentiate it from the NA model and all feature a new Pioneer infotainment system, a significant change over the dreadful Alpine unit fitted to earlier cars. The sills are now protected with a nicely detailed kick panel and the sill itself is backed with foam scrim for a much more pleasant tactile feel, customised car mats are now standard across the range. The door seal has been improved which now covers the area better hiding what were visible bolt heads and it’s been rerouted to reduce wind noise at speed. The one piece item no longer has join lines or mould marks and a change of adhesive addresses complaints of resin smells in the cabin. 

Throughout, better quality leather and higher stitch counts improve the overall look and feel plus the door locking mechanism has been revised to offer a better quality striking pin for less noise and removal of the lock pin for a cleaner look. The exterior handle has been reworked for a more solid sound and interior grab handle is much improved ergonomically as it’s now a leather trimmed piece rather than the poorly fitting 2 piece plastic component seen before. £200,000 has been invested in equipment and an extensive retraining of staff has been undertaken in the newly built on-site trim shop. Director of Operations Micheal Och explained that the improvements start with the people then the components, quality is his passion and his staff have learnt that simply assembling the parts isn’t acceptable any more, everything must, must be perfect at every stage.



Although none of these changes in themselves are game changing, the sum means that the car is a much more pleasant, pleasing and certainly competitive car and would increase ownership satisfaction considerably.
Matt Becker, Chief Engineer, Vehicle Attributes explained that the along with the new gear change cables there is a new low inertia flywheel and clutch fitted to the MY12 Evora. The flywheel which has 46% less inertia improves engine response and the 36% reduction in clutch inertia means easier changes over 6,000 RPM and a quicker shift as the gearbox syncromeshes have more time to align the gears. Having driven 5,000 miles in an Evora, the first time you select a gear in the MY12 car the difference is startling, how smooth and precise it is, a huge improvement. The engine mounts have been improved to reduce tip in/tip out engine rotation by 40% which helps with low-speed stop/start traffic driving and the exhausts is now fitted with a valve which opens at 4,700 RPM to allow the silencer to be bypassed (1,500 RPM in Sport mode) which gives the engine a much improved note, now a very sporty sound with an urgency and great bark higher up the rev range. The suspension is class leading however small improvements include a 15% increase in the stiffness of the rear wishbone bushes and 0.5mm increase in ARB diameter to stiffen the rear axle across the range and the ‘S’ features a slightly stiffer damper.

In terms of the overall package, the Evora customisation for future customers is much more flexible with more options available. There is a selection of new wheels available and the Sports pack includes red painted calipers. There are new paint options, a choice of 7 leather colours and 3 seat styles (Sports Premium, Executive and Suede-tex) which can be embroidered or embossed as per the customers preference along with a choice of headlining. The interior lighting pack is now fully LED so all lights in the car are the same colour whereas the previous was a mix of yellow tinted incandescent and blue tinted LED. Bi-Xenon headlights are standard across the range and colour coded door handles are no longer a cost option.

Many of these changes are exclusive to the MY12 car but you’ll notice a few creeping into the current production cars as the model has evolved. Good news for existing owners along with the fact that many of the upgrades can also be retro fitted to existing cars, although some are harder work than others such as the infotainment system is a jump lead change and unit swap but the valved exhaust would be a significant amount of work. The new gear change cables will soon be available from aftersales which will help anyone who is struggling with their gear change.
Dany Bahar and Wolf Zimmermann took some time to explain the Evora GTE which will be unveiled in Frankfurt next week and Wolf went on to explain, with a satisfied smile that the new V8 has been fired up on schedule and is exceeding expectations in most areas, excellent news. We hope to return to Hethel soon to give you more details on this very exciting part of the company’s future plans.
Share

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Exposição de Fotografia

Ana Sofia Santos - Exposição clássicos

Share

sábado, 3 de setembro de 2011

Condução Desportiva II - A Posição

À primeira vista pode parecer estranho mas a maioria das pessoas não utiliza uma posição de condução correcta, o que pode acarretar consequências sérias caso esta não seja devidamente ajustada para que se efectue Condução Desportiva em segurança:

O Assento;

1º – Ajustar a altura:

O assento do condutor deve ser colocado o mais baixo possível, acautelando sempre que se consegue ver por cima do volante.


Quanto mais baixo for colocado qualquer peso dentro de um carro, incluindo o do condutor e dos passageiros, mais desce o seu centro de gravidade, provocando um efeito muito acentuado no comportamento dinâmico do carro em curva, daí a sua importância.

2º – Ajustar a distância:

Premindo a fundo e em simultâneo o pedal da embraiagem com o pé esquerdo e o pedal do travão com o pé direito, o assento deve ser colocado para a frente, permitindo que os joelhos fiquem confortavelmente flectidos.


Esta operação deve ser sempre efectuada com o motor a funcionar para garantir que o pedal dos travões chega ao fim do curso.

3º – Ajustar a inclinação:

Com o corpo e o pescoço relaxados colocar as mãos no volante, na posição das 9 e das 3 horas, e ajustar o encosto até que os cotovelos fiquem dobrados num ângulo entre os 90º e os 120º.


Nunca se deve conduzir com os braços esticados. Numa curva rápida e acentuada não terão força nem capacidade de impulso suficientes para virar o volante com a velocidade e a precisão necessárias, nem para manter o corpo fixo no assento, contrariando a Força G.

Considerações finais:

Com o carro em movimento, o pé esquerdo deve estar firmemente colocado no descanso de pé, os joelhos devem estar flectidos de forma a que as pernas consigam forçar o corpo contra o assento mas garantindo que o pé consegue deslizar rapidamente de e para o pedal de embraiagem.


Os espelhos retrovisores exteriores e o interior devem estar regulados de forma a que seja possível ver a imagem nestes com o olhar sem ter de efectuar movimentos com a cabeça.


Garantir que os ajustes do assento não empurraram o tapete e que este não interfere com o curso dos pedais.


As palas devem ser colocadas para baixo por forma a limitar a visão ao plano horizontal, diminuindo o campo visual vertical e aumentando assim a capacidade de concentração na pista. Os Pilotos profissionais têm a área dos para-brisas e das viseiras dos capacetes reduzida, normalmente com publicidade, com esse objectivo.


Nos carros de corrida, o assento (baquet) dos Pilotos é feito à medida dos seus corpos por forma a garantir que todas as afinações ideais se encontram conforme as suas especificidades. O objectivo é que o corpo fique de tal forma fixo ao carro que acompanhe em total sincronismo o seu comportamento dinâmico, sem que o Piloto possa ou tenha que intervir nesse sentido.


Nunca é demais recordar que a colocação do cinto de segurança deve ser sempre o primeiro gesto de um condutor depois de entrar num carro.
Share